Não esquenta pai, eu vou pra igreja!

Postado por Matheus Tonon - -



Autor desconhecido

Muitos de nós, que já estamos a um bom tempo na igreja, adquirimos uma coletânea de “regras” que supostamente nos definem como cristãos. Nós pensamos assim: Eu vou aos cultos, canto as músicas, passo o fim de semana com os meus irmãos e posto “coisas” gospel no facebook, logo, eu sou um jovem cristão. Contudo, infelizmente não é apenas isso que torna uma pessoa discípulo de Jesus. Para nos tornarmos verdadeiros seguidores existe uma doutrina, pautada no amor, na graça e na justiça, que devemos seguir.

Então, tomado por essas idéias, mostrarei a vocês esse conflito que existe entre a sã doutrina de Jesus e nossa “religiosidade”. E para demonstrar tomarei o relacionamento com nossos familiares como exemplo.

A inspiração pra esse post veio quando eu parei pra observar a minha própria vida. Eu percebi que algumas vezes desrespeitava os meus pais e ainda assim continuava a me achar “gospel”. Em outros momentos eu “lesava” os meus pais com a desculpa de estar fazendo coisas para Deus. Para vocês entenderem melhor, eu vou contextualizá-los.

Aqui na nossa igreja os jovens têm o costume de fazer vigílias, que são reuniões onde nos encontramos para orar, cantar e manter a comunhão. Esses cultos, geralmente, começam bem tarde, após o pessoal sair da faculdade, e acabam mais tarde ainda, por volta das 3:00 da manhã. O momento que passamos ali é realmente uma benção! É cheio da presença de Deus! Contudo, o grande problema é o horário em que retornamos.

Todos nós sabemos que pai é pai e mãe é mãe e que eles sempre vão nos enxergar como crianças. A grande verdade é que o meu pai, por exemplo, nem dorme quando eu e a minha irmã saímos. Nós chegamos lá pelas 3:30 da manhã e ele ta lá acordado! Sem falar que nós não podemos faltar o culto de domingo de manhã, porque ele é o pastor.

Então isso gerou um conflito dentro de mim. E pensei, qual é mais correto? Ficar conversando com os irmãos até tarde ou parar de lesar o próprio pastor da igreja, fazendo ele perder o sono? Qual agrada mais a Deus?

Jesus foi bem claro quando os religiosos da sua época o questionaram a respeito disso:
‘‘Pois Moisés disse: ‘Honra teu pai e tua mãe’, e ‘quem amaldiçoar seu pai ou sua mãe terá que ser executado’.Mas vocês afirmam que se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: ‘Qualquer ajuda que vocês poderiam receber de mim é Corbã’, isto é, uma oferta dedicada a Deus,vocês o desobrigam de qualquer dever para com seu pai ou sua mãe. Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição que vocês mesmos transmitiram. E fazem muitas coisas como essa’’.
Marcos 7:10-13
Pessoal, eu gostaria de dizer, que entendo que somos jovens adultos e que caminhamos para a independência em muitos aspectos. Eu, também, compreendo a importância de “sairmos” para nos relacionar e nos divertir, mas será que nossos velhinhos merecem muitas das coisas que fazemos? Ou será que Deus prefere que nos matemos de fazer vigílias e jejuns a cumprir um simples mandamento Dele (Honra teu pai e tua mãe)?

Cabe dizer que o “sair tarde” é apenas um exemplo! O que eu estou tentando dizer é que somos capazes até de usar Deus como desculpa para escaparmos das responsabilidades que temos como filhos e filhas.

Eu quero dizer que continuo a sair todos os fins de semana e que ainda chego tarde. Mas não me custou nada conversar com o meu pai e tranqüilizá-lo. Todas as vezes que vou sair pergunto: "Pai, tudo bem pra você?" e essa atitude simples é capaz de fazer um homem dormir em paz.

Moral: Honra teu pai e tua mãe; não use nenhuma desculpa para não honrar, mesmo que sejam coisas relacionadas com a igreja; e lembre-se que Deus se agrada mais do cumprimento dos seus mandamentos do que de ofertas e sacrifícios.

Eu espero que através dessa mensagem vocês possam reavaliar os seus relacionamentos com os seus pais. Que possam, também, entender que é a obediência à palavra de Deus e o exercício do amor que nos definem como jovens cristãos, em vez das nossas “regras” de conduta e “religiosidades”.

Fiquem na paz e que o Senhor abençoe vocês!

Retirado de OJovemCristão

2 Respostas até agora.

  1. Anônimo disse:

    "Verdade"??? Para acreditar em Deus não é preciso nenhum "rótulo", "doutrina" ou "cartilha". E muito menos são necessários "intermediários". Basta acreditar com sinceridade e fazer aos outros o que se deseja que aconteça para si mesmo. Apenas isso. a verdadeira palavra de deus não precisa de tradução, de intérprete ou de explicação. Ela vem diretamente Dele e cala fundo na alma de cada um. O verdadeiro filho de Deus, caso se faça presente entre os humanos, não precisará provar nada para ninguém, nem se auto proclamar. Todos sentirão, em seu íntimo, a presença divina e pronto!!!

  2. Deus não existe simplesmente pelo exercício do nosso pensamento, Ele não é Deus pelo o que penso dEle ou deixo de pensar.Ele é uma pessoa, possui todas as características que também possuímos (imagem e semelhança - Gênesis 1:26), e também exige algo de nós, sermos santos diante dEle. Entendemos que o ser humano possui uma natureza pecaminosa, ou seja, por melhores que tentamos ser, nós tendemos a fazer o mal, a se corromper, a mentir e enganar, etc. A Bíblia diz que nossos pecados nos separaram de Deus, e o único caminho para resolver este problema é através de Jesus Cristo.

    Seguir Jesus significa seguir teus ensinamentos e podemos conhecê-los através das Escrituras (Bíblia). Ele quer que nos aproximemos dEle e deixemos que Ele nos ensine sobre Sua pessoa.

    Cristo também afirma que Ele mesmo teria se encarregado de transmitir as palavras de Deus aos seus discípulos (“Eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste” – João 17:8). Ele é o mediador entre Deus e os homens (2 Timóteo 2:5) autorizado a propagar a mensagem do Pai e que apresenta tudo o que recebeu do Pai aos discípulos (“porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer – João 15:15). Os discípulos foram aqueles que escreveram os evangelhos que contam a história de Jesus, e todos seus ensinamentos, assim como as cartas às igrejas que se encontravam naquela época.

    Concluindo, fez-se necessário então um intermediário, Jesus, (ele disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” - João 14:6) porque estávamos separados de Deus (“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” - Romanos 3:23)

    assim como a revelação da Sua Palavra, a Bíblia que traz seus ensinamentos (“... sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 2 Timóteo 3:15-17)

Comentário(s):